5 razões para você fazer uma pós graduação EAD em Educação especial e inclusiva?

Se você quer saber mais sobre a pós-graduação EAD em educação especial e inclusiva veio ao lugar certo. No post de hoje, vamos te dar cinco razões para você se matricular nesse curso. Antes de tudo, é importante lembrar que esse e qualquer outro curso de pós-graduação é destinado para quem já concluiu uma graduação, ou seja, um curso de nível superior.

Além disso, esse curso de especialização é indicado para educadores das redes pública e privada, profissionais da educação, mas também, para todas as pessoas que demonstrem interesse pelo tema. Confira mais sobre o curso e a temática estudada logo abaixo.

Saiba mais sobre a pós-graduação

Para começar a entender melhor o curso, é preciso falar sobre os termos: educação especial e inclusiva. Afinal, a educação é um direito básico e comum a todos os cidadãos. Então, entender o que é a educação especial e inclusiva é essencial para quem deseja trabalhar em uma escola especializada ou que seja inclusiva.

Sendo assim, a educação especial utiliza ferramentas didáticas e pedagógicas específicas para atender às limitações da criança com necessidades especiais, sejam elas físicas ou cognitivas. Ela não possui um papel integrador do aluno com a sociedade, sendo aplicada fora do ambiente da educação regular, em escolas ou centros especializados no atendimento a essas crianças.

Já a educação inclusiva é um sistema educacional misto, onde se alia a educação regular com a educação especial. Nesse contexto, os alunos com necessidades especiais são integrados aos demais alunos no ambiente escolar comum.

Além disso, estudos recentes mostram que a convivência de alunos com necessidades especiais e alunos que não apresentam nenhuma limitação, é benéfica para os dois lados. A Educação Inclusiva ajuda a construir uma sociedade que sabe respeitar as diferenças, os alunos incluídos são mais propensos a pertencer a um grupo de amizades ou viver de forma mais independente, trabalhando ou ingressando no ensino superior. Além disso, as pesquisas mostram que esses alunos desenvolvem habilidades em matemática e leitura mais apuradas e são menos propensos a mostrar problemas comportamentais, se comparados aos alunos que não frequentam escolas inclusivas.

Qual é o tempo de duração da pós em educação especial e inclusiva EAD?

Quanto ao tempo de duração, a pós-graduação em educação especial e inclusiva EAD pode ter entre seis e 15 meses de duração. E após esse período de estudos, você estará mais bem preparado para enfrentar os desafios do dia a dia da educação no Brasil. Confira quais são os assuntos estudados:

  • Didática do Ensino Superior
  • Novos Caminhos para Profissionais da Educação
  • Deficiência Intelectual, Física e Psicomotora
  • Deficiência Visual, Auditiva e Surdocegueira
  • Transtornos Globais de Desenvolvimento (TGD) e Altas Habilidades
  • Metodologia do Ensino da Educação Especial
  • Tecnologia Assistiva
  • Comunicação Alternativa

5 razões para fazer uma pós-graduação em educação especial e inclusiva EAD

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o curso, vamos trazer cinco razões para você se matricular hoje mesmo e começar a estudar. São elas: manter-se atualizado com as novidades da área; atender a demanda das escolas para adequar-se ao plano nacional para a educação especial e inclusiva; destacar-se entre os demais profissionais; realização profissional e pessoal; e aumentar a remuneração e conquistar novas oportunidades de trabalho. Confira mais sobre cada uma delas logo abaixo:

Manter-se atualizado com as novidades da área

Assim como acontece com as demais áreas, na educação também há a necessidade do profissional se manter atualizado com as novas descobertas. No caso desse segmento, essas novidades envolvem resultados de estudos e novas e melhores metodologias de ensino. Por isso, há a necessidade de investir em um curso de especialização como a pós-graduação em educação especial e inclusiva.

Atender a demanda das escolas para adequar-se ao plano nacional para a educação especial e inclusiva

O Plano Nacional de Educação (PNE), é o documento do Ministério da Educação (MEC) que determina diretrizes, metas e estratégias para a política educacional. Atualmente, está em vigência o plano estabelecido de 2014 a 2024. Nesse plano, está prevista a política de educação especial e inclusiva.

A meta de número 4 do PNE estabelece o acesso à Educação Básica e ao atendimento educacional especializado para toda a população de 4 a 17 anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação.

No Brasil, a Lei de Diretrizes e Bases Nacionais da Educação (9.394/96), de 1996, assegura a todas as crianças com necessidades especiais, o direito constitucional de educação pública e gratuita. Segundo o MEC, qualquer escola, seja ela pública ou particular, que negar matrícula a um aluno com deficiência comete crime punível com reclusão de 1 a 4 anos (Art. 8º da Lei nº 7.853/89).

E, para receber esses alunos a escola não precisa obter nenhuma licença da Secretaria da Educação, porém, ela precisa estar preparada. Além das adaptações na estrutura física, é necessário contar com professores capacitados e treinados para lidar com as limitações das crianças e a pós-graduação pode ajudar com esse conhecimento necessário.

A escola também precisa dispor de tecnologias que permitam a integração dos alunos com necessidades especiais e o apoio de um grupo de profissionais que possam proporcionar um processo educacional de formação integral, como educadores físicos, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e psicopedagogos.

Destacar-se entre os demais profissionais

Há muitas oportunidades no mercado da educação, porém, elas estão aguardando por profissionais qualificados. E como a educação especial e inclusiva é um assunto que está em discussão no momento, é uma boa opção apostar em uma pós com essa temática.

Realização profissional e pessoal

Por mais desafiadora que seja a educação no país, ela também tem o poder de ser recompensadora. E trabalhar com educação especial e inclusiva pode aumentar ainda mais esse sentimento nos profissionais envolvidos. Então, se você tem vontade de fazer a sua parte para transformar o mundo em um lugar melhor, pode investir na pós-graduação em educação especial e inclusiva EAD sem medo.

Aumentar a remuneração e conquistar novas oportunidades de trabalho

De acordo com uma pesquisa recente da Fundação Getúlio Vargas, a FGV, os profissionais que possuem pós recebem cerca de 66% mais do que seus colegas que possuem somente graduação. Ou seja, além de todos os outros pontos, como destaque profissional e realização pessoal,  é importante levar em conta a questão do ganho mensal. Por isso, esse é a nossa última razão para você de matricular na pós hoje mesmo e trilhar um futuro de sucesso na educação.

Deixe seu Comentário