Destaque

  • Como é o mercado de trabalho para formados em Serviço Social?

    No post de hoje, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre a área de Serviço Social. Você vai saber qual é a diferença entre os cursos de licenciatura e bacharelado, vai conferir a grade curricular do curso, saber o que faz um bacharel e conhecer mais sobre o mercado de trabalho. Afinal, todas essas informações […]

  • Quem pode fazer uma pós-graduação em gestão escolar?

    A pós em gestão escolar é muito buscada por quem deseja alcançar cargos diferentes dentro de uma escola ou instituição de ensino. Com ela, o profissional pode atuar em departamentos fora das salas de aula e é ideal para quem quer crescer dentro da área da educação. Mas você sabe quem pode fazer pós em […]

  • O que faz e onde atua um técnico em Gestão Pública?

    O curso superior de Tecnologia em Gestão Pública EAD tem crescido muito em número de matrículas ano após ano. Essa escolha é feita principalmente por aqueles que têm interesse em atuar com assessoria política e técnica, com planejamento e desenvolvimento de projetos, com organizações privadas que prestam serviços para órgãos públicos, com institutos e centros […]

  • Por que fazer uma licenciatura em Geografia a distância?

    A pergunta que dá título ao post é bastante pertinente pois, mesmo que a Licenciatura em Geografia ainda seja um dos cursos de nível superior mais buscados pelos futuros professores, ainda existem muitos que gostariam de se matricular mas possuem uma série de dúvidas sobre o por quê escolhê-lo. Portanto, a partir de agora, tentaremos […]

  • O que faz uma pessoa formada em Processos Gerenciais?

    O curso de Tecnologia em Processos Gerenciais EAD tem, ano após ano, conquistado um número cada vez maior de novos alunos matriculados. Porém, para muitos, essa área ainda é desconhecida. Justamente por isso preparamos uma postagem especial, contando um pouco mais sobre o que faz um profissional formado nessa graduação. E claro, falaremos também sobre […]

  • Qual a diferença de psicopedagogia clínica e institucional?

    Tem interesse pela área da Psicopedagogia? Então, veio ao lugar certo! Hoje vamos tirar todas as suas dúvidas sobre a Psicopedagogia Clínica e Psicopedagogia institucional. Dessa forma, você poderá escolher a área que mais se aproxima das suas pretensões profissionais. Diferenças entre Psicopedagogia Clínica e Psicopedagogia institucional Para começar, é preciso entender do que se […]

  • O que faz um psicopedagogo institucional?

    Antes de começar uma pós-graduação é interessante conhecer mais sobre a área de de atuação do psicopedagogo institucional. Então, se você tem dúvidas sobre esse segmento veio ao lugar certo. Afinal, vamos te contar o que é, para que serve psicopedagogia institucional e qual é o trabalho de um profissional formado. Sendo assim, confira o […]

  • Como é um curso de bacharelado em Serviço Social a distância?

    No texto de hoje vamos te contar tudo sobre bacharelado em serviço social! Em primeiro lugar devemos destacar que o bacharelado em serviço social é responsável por preparar o profissional para atuação na sociedade com o intuito de intervir nas dificuldades de indivíduos e comunidades, por meio de propostas e ações de promoção do exercício […]

  • Como é o mercado de trabalho para profissionais de gestão pública?

    O curso de Gestão Pública é muito buscado por quem tem interesse em trabalhar no setor público. Mas, se você ainda tem alguma dúvida quanto a esse tecnólogo, hoje vai poder tirar todas elas. Aqui, você vai encontrar informações sobre o tecnólogo em gestão pública, o que faz um tecnólogo em gestão pública, se tecnólogo […]

Conheça o Caderno do ENEM

Seja muito bem-vindo ao Caderno do ENEM, um blog especialmente pensado e produzido para você que busca informações sobre educação a distância (EaD) e quer estar sempre por dentro dos mais diversos assuntos sobre esse universo tão vasto e tão importante para todos nós. Se você vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio, se vai iniciar uma faculdade, se acabou de garantir a graduação e agora busca uma especialização, tenha certeza que está no lugar certo.

Sempre traremos novidades também a respeito do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, mais conhecido como ENCCEJA, sobre como garantir bolsa em uma instituição de ensino superior através do Prouni, como financiar parte do valor da sua mensalidade utilizando o FIES, daremos também atenção especial ao SISU. Enfim, não faltarão notícias e dicas para que sua caminhada seja sempre tranquila.

Mas antes que você mergulhe a fundo nesse mar de informações, nada melhor do que te introduzirmos (e explicarmos) um pouco mais a respeito de cada uma das principais editorias que poderão ser encontradas aqui no Caderno do ENEM que, como você pôde perceber, tratará do antes, do durante e do depois, daqueles que irão passar ou já passaram pelo Exame Nacional do Ensino Médio. Então vamos lá…

ENEM

Como já dito anteriormente, ENEM é a sigla pela qual é amplamente conhecido o Exame Nacional do Ensino Médio. Esse, que é reconhecidamente o maior e mais importante exame educacional do nosso país, foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) no ano de 1998, tendo na época como principal objetivo fazer uma avaliação do desempenho e domínio das competências daqueles estudantes que concluíram o ensino médio.

Seis anos depois, em 2014, a pontuação do ENEM passou a ser ainda mais importante, uma vez que desde então pode ser utilizada como “porta de entrada” para várias faculdades e universidade, sejam elas públicas ou particulares. Portanto, é cada vez mais essencial uma preparação focada e de qualidade, pois disso pode depender seu futuro ingresso em um curso de nível superior.

Além de substituir o vestibular, a nota do Exame pode ainda servir para que o aluno conquiste bolsas de estudo parciais, e até mesmo integrais, nas faculdades particulares, graças ao Programa Universidade Para Todos, o famoso Prouni, sobre o qual falaremos mais adiante. Além das bolsas, os financiamentos oferecidos pelo governo federal também podem ser obtidos, principalmente o mais conhecido deles, o FIES, Fundo de Financiamento Estudantil, que também terá destaque aqui daqui a pouco.

Bom, você agora já sabe um pouco mais sobre para que serve o Exame Nacional do Ensino Médio, mas claro, precisa saber como se inscrever, e claro, também como ele funciona.

Em situações normais, o edital do ENEM tende a ser publicado e divulgado durante o mês de março, e a abertura das inscrições ocorre dois meses depois, ou seja, em maio. Ela deve ser realizada diretamente no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, onde um cadastro informando endereço de e-mail e senha, que serão utilizados para acessar o sistema e conferir confirmação de inscrição, imprimir ou salvar cartão de inscrito (com o qual deverá estar de posse nos dias), verificar local de realização das provas e ensalamento, e claro, acessar os gabaritos e resultados quando forem disponibilizados em momento oportuno.

Nesse cadastro deverá conter ainda nome completo, dados residenciais, telefones de contato, além de serem sinalizados a cidade na qual prefere fazer as provas, escolher se a língua estrangeira que estará em sua avaliação será inglês ou espanhol, e também se precisará de algum tipo de atendimento especial nos dias das aplicações.

Mas atenção, não são todos que podem ser inscrever no ENEM! Como o próprio nome deixa claro, ela é específica para quem tem/está o ensino médio. Isso quer dizer que quem ainda não concluiu ou não está no último ano não pode fazer? Não é bem assim. Os alunos que estiverem no 1º ou no 2º ano poderão participar, porém, apenas a título de treinamento, ou seja, não terão direito de utilizar a pontuação para obter qualquer benefício.

Uma vez finalizada a inscrição, será necessário então gerar um boleto, mais precisamente um Guia de Recolhimento da União (GRU), que poderá ser pago em qualquer agência bancária, casa lotérica ou ainda em agências dos Correios. Lembrando sempre que isso deve ser feito atentando sempre ao prazo de vencimento, pois apenas assim sua participação estará de fato confirmada e garantida.

Não tem condições financeiras para pagar a taxa de inscrição? Calma, não será isso que te fará perder o Exame. Existem sim formas de se isentar do pagamento, ou seja, de inscrever-se gratuitamente. Para tanto é necessário atender pelo menos um dos critérios a seguir: estar no último ano do ensino médio, o correspondente ao terceiro ano, matriculado em escola pública que esteja declarada no Censo Escolar; ter feito todo o ensino médio em escola pública ou ser bolsista integral em uma escola da rede privada, além de possuir renda por pessoa que faça parte da família igual ou inferir a um salário-mínimo e meio; ou estar em situação vulnerável socioeconomicamente por ser membro de família de baixa renda. Essas últimas condições poderão ser confirmadas através do Número de Identificação Social (NIS), desde que esteja válido, e também da comprovação de que a renda da família é de até meio salário-mínimo por pessoa, ou de no máximo três salários-mínimos no todo.

Então, se você não tem como pagar a o valor referente à inscrição e se encaixa em alguma das situações acima mencionadas, fique atento ao prazo de solicitação de isenção e faça o requerimento.

Vamos então falar das provas… São duas, tradicionalmente aplicadas no mês de novembro, em dois domingos seguidos, e em duas versões distintas: impressa e digital. A escolha pela versão que mais lhe agrada poderá ser feita no momento da inscrição.

No primeiro dia de aplicação é costume que os examinados precisem responder sobre questões envolvendo as áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; e ainda produzir uma Redação, que vale mil pontos. No segundo dia as áreas nas quais os conhecimentos serão testados são Ciências da Natureza e suas Tecnologias; e Matemática e suas Tecnologias.

O tempo para fazer a avaliação no primeiro dia é meia hora maior, tendo em vista a necessidade de escrever a Redação, algo que no segundo dia não é preciso. Portanto, são respectivamente, cinco horas e meia para conclusão no primeiro domingo e cinco horas no domingo seguinte.

Ok, falamos das áreas sobre as quais as provas versarão, mas quais disciplinas estão inseridas em cada uma delas compondo o total de 180 questões que devem ser respondidas?

A área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias abrange as disciplinas de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira (escolhida no momento da inscrição, como dito anteriormente), Literatura, Artes, Educação Física, e Tecnologias da Informação e Comunicação. Em Ciências Humanas e suas Tecnologias são abordadas questões referentes às disciplinas de História, Geografia, Filosofia e Sociologia. Na área do conhecimento Ciências da Natureza e suas Tecnologias as disciplinas presentes são Química, Física e Biologia. E finalmente, em Matemática e suas Tecnologias, a Matemática é a grande estrela.

Falando especificamente da Redação, como dito acima ela vale importantíssimos mil pontos. E apesar de muitos acharem (e até afirmarem) que não é possível alcançar essa pontuação, saiba que isso não é verdade. Já temos alguns casos em que essa conquista aconteceu, e você tem plena capacidade de também conseguir. Nada que o auxílio de um bom curso online e o hábito de estar sempre por dentro de temas atuais no Brasil e no mundo não resolvam.

Acreditamos que ficou claro o quão importante o Exame Nacional do Ensino Médio é importante para o estudante, certo? Então conte conosco para estar sempre muito bem informado a respeito de tudo que o envolve, além de dicas constantes de como se preparar e ter sucesso nas provas.

ENCCEJA

O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, ou simplesmente ENCCEJA, teve sua primeira aplicação no ano de 2002, e desde então tem avaliado os conhecimentos e habilidades daqueles que não puderam finalizar o ensino fundamental ou o ensino médio dentro da idade adequada, no caso 15 e 18 anos, respectivamente. A prova, cuja inscrição é gratuita, pode ser feita por pessoas que residam tanto em território nacional ou internacional, como também para aqueles que estão privados de liberdade, para que possam finalmente realizar o sonho de concluírem os estudos, e terem mais e melhores oportunidades no decorrer da vida.

A exemplo do ENEM, o ENCCEJA também é realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, porém, a emissão do Certificado e da Declaração de Proficiência são de inteira responsabilidade das Secretarias Estaduais de Educação e dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Cabe ao examinado escolher, no momento da inscrição, em qual desses órgãos quer que o documento seja emitido.

No site do Inep é possível encontrar anualmente as informações referentes ao Exame, que tem quatro editais, cronogramas e, consequentemente, provas diferentes. Terei então que fazer o ENCCEJA em quatro ocasiões distintas, você deve estar se perguntando. E a resposta não. Mas vamos explicar melhor…

São quatro situações diferentes pois há o ENCCEJA Nacional, que é dedicado àqueles que residem no Brasil; o ENCCEJA Nacional PPL, que é voltado àqueles que residem no Brasil, mas estão privados de liberdade ou cumprindo medidas socioeducativas; o ENCCEJA Exterior, para os brasileiros que moram fora do país; e ainda o ENCCEJA Exterior PPL, que atende aos brasileiros que residem em outro país e estão privados de liberdade ou cumprem medidas socioeducativas.

Apesar de as datas de aplicação para os quatro casos serem diferentes, as provas obedecem de maneira igual aos requisitos básicos estabelecidos pela legislação em vigor, tanto no caso do ensino fundamental, como no caso do ensino médio. Para que sejam aplicados fora do Brasil, o ENCCEJA Exterior e o ENCCEJA Exterior PPL contam com a parceria com o Ministério das Relações Exteriores.

Falando sobre a avaliação em si, ele é composto por quatro provas objetivas, ou de múltipla-escolha, como preferir, cada uma contendo um total de 30 questões, totalizando então 120 questões, além da necessidade de que seja produzida uma Redação estruturada em prosa dissertativa-argumentativa, tendo como tema algum assunto ligado à área científica, cultural, política ou social.

Aqueles que buscam o certificado de conclusão do nível fundamental terão provas abordando questões das disciplinas de Ciências Naturais; Matemática; Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes e Educação Física; além de História e Geografia.

Já os que pretendem ir em busca do sonhado diploma do ensino médio, serão avaliados de forma muito parecida com o que é cobrado no ENEM, uma vez que nas provas aparecerão questões referentes às mesmas áreas do conhecimento. Então, recapitulando, Ciências da Natureza e suas Tecnologias (Química, Física e Biologia); Ciências Humanas e suas Tecnologias (História, Geografia, Filosofia e Sociologia); Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes e Educação Física); e Matemática e suas Tecnologias.

Para que haja sucesso nas provas, e consequentemente o objetivo alcançado, é necessário obter pelo menos 100 pontos em cada uma das áreas acima citadas (tanto no nível fundamental quanto no nível médio), além de assegurar nota igual ou superior a cinco pontos na Redação, cujo valor total é de 10 pontos.

A boa notícia para quem fez o ENCCEJA anteriormente e não obteve a pontuação mínima em alguma das áreas do conhecimento, tendo recebido então apenas o certificado parcial, é que não existe a necessidade de fazer todo o exame novamente no ano seguinte. Será possível inscrever-se mais uma vez (ou quantas forem necessárias), e ser avaliado apenas naquela área que ficou faltando.

FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil, ou FIES, é um programa do Ministério da Educação que visa, como o próprio nome diz, conceder financiamento a estudantes de ensino superior matriculados em instituições particulares. O auxílio é pago no decorrer do curso e o beneficiado só precisa amortizar o valor após formado, tendo assim tempo para ingressar no mercado de trabalho. E aqui, mais uma vez, o ENEM se mostra fundamental.

Para se candidatar ao FIES é necessário ter feito o ENEM a partir de 2010 e conquistado pontuação igual ou maior a 450 pontos, somando as provas objetivas e redação. Ainda é preciso comprovar que a renda per capita mensal da família não ultrapassa os três salários-mínimos, ou ainda, na nova modalidade batizada de P-Fies, que tenham renda de no máximo cinco salários-mínimos.

As inscrições são abertas sempre ao início de cada semestre letivo, e devem ser realizadas na página do Sistema Informatizado do FIES. São algumas as etapas até que o financiamento seja aprovado, entre elas: preenchimento dos dados pessoais do estudante, validação das informações junto à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA), e claro, a contratação do financiamento no banco.

PROUNI

O Programa Universidade Para Todos, conhecido pela grande maioria das pessoas como Prouni, foi criado no ano de 2004 pelo governo federal, com o intuito de ajudar os estudantes de faculdades particulares a iniciarem ou concluírem seus estudos, mediante oferta de bolsas de 50% ou 100% do valor da mensalidade. Aqui, ao contrário do FIES, não existe a necessidade de amortização após a conclusão do curso superior.

O que se assemelha ao programa de Financiamento Estudantil é que também se faz necessário possuir uma pontuação de pelo menos 450 pontos, somando as provas objetivas e a redação, desde que a pontuação dessa não seja zerada. Além disso é necessário atender a pelo menos um dos seguintes requisitos: ter renda de até 1,5 salário-mínimo por membro da família para bolsas integrais e de até três salários-mínimos para bolsas parciais; ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou ter concluído o mesmo em escola particular desde que tendo bolsa integral; ser portador de deficiência física; ou ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública.

Para se inscrever, de forma gratuita, o interessado deve fazê-lo exclusivamente no site do Prouni, preenchendo todos os dados que forem solicitados. Nesse mesmo momento é necessário escolher, em ordem de preferência, até duas opções de instituição de ensino superior, cursos e turno. Feito isso, o sistema irá calcular a nota de corte de cada curso e, baseado no número de bolsas que as instituições escolhidas oferecem e no total de candidatos inscritos, informa se haverá ou não a concessão da bolsa.

SISU

O SISU, ou Sistema de Seleção Unificada, é aquele no qual as instituição de ensino superior públicas oferecem vagas para os candidatos que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (mais uma vez comprovando o tamanho da importância que o ENEM tem na vida acadêmica dos alunos). Nesse caso a classificação dos selecionados acontece de maneira mais simples, tendo sempre vantagem aqueles que obtiverem maiores notas no Exame.

Para se inscrever é necessário acessar a página do SISU na internet e preencher o cadastro inserindo os dados pedidos. Deve-se escolher até duas opções de cursos, aos quais é possível conferir a quantidade de vagas disponíveis utilizando o mecanismo de busca digitando o município no qual pretende estudar, o nome da instituição ou o nome do curso. No resultado dessa busca é mostrado ao candidato os detalhes referentes ao curso e as modalidades disponíveis. Basta então escolher as modalidades nas quais pretende concorrer e pronto. Depois é só acompanhar as notas de corte dos cursos selecionados, sua classificação e, se tudo der certo, comemorar a conquista da vaga.

FACULDADES

Tudo isso que você leu acima vai culminar na sua sonhada entrada em uma faculdade, seja ela pública ou particular. E é claro que aqui sempre te deixaremos muito bem informado sobre quais são as melhores opções de instituições de ensino superior a distância, modalidade que vem crescendo grandemente ano após ano, e que facilita demais a vida de quem busca o diploma.

Isso porque, ao escolher o EAD, não é preciso ficar “refém” dos horários fechados que as instituições presenciais impõem, ficando então a critério do aluno escolher qual o melhor horário e local para estudar. Nos dias atuais, onde a grande maioria dos universitários precisa conciliar trabalho e estudo, essa maleabilidade se faz fundamental.

A forma de estudar não muda em muita coisa, a não ser o fato de que não é necessário frequentar uma sala de aula, que seu material didático deverá ser composto por livros impressos, videoaulas em DVD’s, ou esses mesmos conteúdos em suas versões digitais, disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem da instituição escolhida por você. Será também no AVA que você irá realizar as provas on-line, agendar as avaliações presenciais que se fizerem necessárias, conferir as notas, acompanhar seu progresso no curso, solicitar documentos, enfim.

Como dito anteriormente, falaremos bastante sobre o assunto no decorrer de nossas postagens, mas vamos deixar desde já algumas dicas de como escolher a melhor faculdade EAD.

Sempre confira, antes de efetuar sua matrícula, se a instituição na qual tem interesse em estudar é reconhecida pelo Ministério da Educação e autorizada pelo mesmo a ofertar cursos na modalidade a distância. Isso é fundamental para que seu diploma seja aceito no mercado de trabalho e você não tenha dores de cabeça no futuro. Quando a IES possui essa certificação, costumeiramente ela expõe em sua página na internet, mas ainda é possível verificar diretamente no site do MEC.

Assegure-se também de que os materiais didáticos são produzidos pelo mesmo autor. Isso assegura que exista unidade no conteúdo. Vamos explicar melhor… Dentro de uma disciplina é extremamente importante que um mesmo professor tenha escrito os livros, gravado as videoaulas e elaborado as questões das provas, assim evitam-se surpresas desagradáveis e sempre haverá a certeza de que o que estudou, é o que cairá na prova.

Enfim, essas são apenas algumas das muitas dicas que você verá enquanto navegar pelo blog. E acredite, seguindo-as você terá uma caminhada ainda mais tranquila e eficaz durante seu curso superior.

Mais uma vez, seja muito bem-vindo ao blog Caderno do ENEM!